Escrever o que me der na real gana, sempre com a máxima parcialidade, sem ter que dar satisfações a ninguém, é o objectivo deste blogue. Não Gostam? Têm bom remédio...

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Eu também estou furioso com a Standard & Poors.

Mas estou-o, pelo facto de achar que foi branda na revisão em baixa do nosso rating da república. É que, se em vez de A+ para A-, tivesse ido mais longe, talvez se pudessem evitar poucas vergonhas como esta. Parece cada vez mais evidente, que a tralha que nos (des)governa, nos vai continuar a hipotecar o futuro de forma violenta. Talvez a nossa salvação seja mesmo a "preciosa" ajuda dos "especuladores", que ao tornarem o crédito impossível, acabem de vez com estes saques, cujos beneficiários são invariavelmente os coelhos & salgados deste lamaçal.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Tugolândia so seu melhor.

Ontem, alarme geral, em particular na Bolsa de Lisboa, que caiu mais de 5% depois do corte no rating da república. Como havia greve nos transportes, as praias encheram-se. Porreiro pá.

À atenção de todos os numismatas.

Comecem já a guardar a versão portuguesa destas moedas. Provavelmente vão valer bom dinheiro dentro de pouco tempo.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

O lado B.

Vi os dois primeiros programas que Bruno Nogueira apresenta na RTP nas noites de Domingo, com o nome Lado B. Em ambos, uma catadupa de graçolas sobre a Igreja Católica e a pedofilia. Num deles, uma piadola sobre Auschwitz, aproveitando as cinzas do vulcão islandês. Percebe-se que para Bruno Nogueira não há temas tabu, coisa que aliás já afirmou em várias entrevistas, percebendo-se também que a pedofilia é um filão inesgotável para a sua veia humorística, sobretudo quando a coisa permite estabelecer ligações a uma religião. Eu, como acredito na coragem e liberdade de espírito do Bruno Nogueira, vou continuar a ver os programas, na expectativa de o ver a parodiar um dia o Islão. É que, a brincar a brincar, há pano para mangas sobre as relações de Maomé com criancinhas, e eu estou certo de que o Bruno não irá desaproveitar tão grande filão. Vai ser de morrer a rir, não tenho a mínima dúvida.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Estado de Direito? Como, com juízes destes?

Continuamos a ser confrontados diariamente com decisões totalmente incompreensíveis por parte de juízes que adensam o nosso cepticismo em relação à capacidade de os nossos tribunais administrarem verdadeira justiça. Este caso, é mais uma fortíssima machadada na credibilidade de uma classe, já de si tão descredibilizada pela sucessão de casos que têm vindo a lume.

Mais do que a injustiça, gritante para o comum dos mortais, o que esta absolvição sinaliza é: não vale a pena denunciar tentativas de corrupção, já que nos arriscamos a uma carga de trabalhos pesadíssima e, pior do que isso, a ver no fim o feitiço virar-se contra o feiticeiro.

Para estes juízes, mais importante do que a substância dos factos provados, foi a questão formal segundo a qual, o sujeito objecto de tentativa de corrupção, não possuía poderes suficientes para alterar a decisão contrária aos interesses do corruptor, e por essa razão, a tentativa de o corromper não poderia produzir os efeitos desejados. Ou seja, mande-se embora sem condenação o malandrim que escolheu o alvo errado, porque o que é relevante não é ser bandido, mas sim ser bandido competente. E, já agora, condene-se o denunciante por ter sobrevalorizado a competência do bandido.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Mais um alvo de uma campanha negra...

aqui.

Estranhamente, dos paladinos contra a homofobia, nem uma palavra.

Sugestão para o Rock in Rio 2010.


 Confirmadas as presenças da Shakira, Ivete Sangalo, João Pedro Pais, Hannah Montana, Amy Macdonald e D'zrt, só falta mesmo a confirmação do Ruca e da Vila Moleza para um festival de arromba.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Nem sei bem o que dizer.

Quando se esperava que o Sporting contratasse um treinador que não deixasse grande margem para dúvidas quanto à sua capacidade para lidar com uma equipa esfrangalhada, em mais uma decisão no mínimo discutível e de alto risco, a direcção optou por um técnico ainda a dar os primeiros passos na primeira divisão. Como sportinguista, não posso dizer que seja grande o entusiasmo, mas como sou um eterno optimista em assuntos da bola, só me resta esperar um brilharete do Paulo Sérgio e desejar-lhe a maior sorte do mundo.

Monstruosidade.

Violador de criança com pena suspensa por não ter cadastro

O que dizer de gente que consegue dormir descansada depois de proferir uma sentença destas? Verdadeiros monstros.

Este é um daqueles casos em que não é preciso ser jurista para perceber que o quão aberrantes podem ser algumas decisões judiciais. Ocorre-me perguntar: a falta de prática como violador, é atenuante suficiente para justificar uma pena suspensa num crime com estes contornos? Deixando o violador à solta, pode ser que ele tenha mais tempo para praticar, se entretanto ninguém resolver fazer justiça pelas suas próprias mãos, que é  para aquilo que estas bestas de juízes parecem querer contribuir.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Só se perdiam as que caíssem no chão.

Acabo de ler na revista Sábado, edição em papel, que Morais Sarmento, durante o congresso do PSD, terá feito questão de ter uma conversinha com este boçaloide, fazendo-lhe notar que as fanfarronices em que é useiro e vezeiro poderiam custar-lhe um par de dentes. Ao que parece, a conversa demorou apenas dois minutos, tendo o fanfarrão metido a viola no saco. 

Não sendo eu grande adepto deste tipo de correctivos, tendo a reconhecer neles algum efeito pedagógico, sobretudo quando aplicados em gente que parece não entender outra linguagem.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

No reino da "pequenada"...

...um pombo pode fazer submergir um submarino. Parece mentira, não parece? Não menos do que o nível da troca de mimos.

sábado, 10 de abril de 2010

Estou mesmo galvanizado.




Com este na vice-presidência do partido e este a presidir ao Instituto Sá Carneiro, começo a acreditar verdadeiramente no lema "mudar". Para pior, evidentemente, para muito pior. Para compor o ramalhete, só  falta mesmo colocar este à frente do Gabinete de Estudos.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Pois, não estivesse ele onde está e seria crucificado...

...pelas declarações de derrota antecipada antes do jogo, pelas alterações bizarras na estrutura da defesa  e ainda pela histeria revelada na altura em que Júlio César em evidentes dificuldades pediu para ser substituído.

Não sei porquê, hoje os 4 fabulosos de Liverpool não me saem da cabeça.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Com algum atraso, os meus parabéns ao "comentador pulhítico"...

...que está finalmente no devido lugar.

Ana Gomes sobre o engenheiro técnico.


O modo cada vez mais desabrido com que Ana Gomes zurze em Sócrates, será  mais um indício que dentro do PS o estoiro estará para breve? Ou será uma voz isolada de quem se está marimbando para as consequências de uma eventual fatwa? Inclino-me mais para a primeira hipótese, por acreditar que Ana Gomes, mesmo reconhecendo-lhe coragem e independência face ao carneirismo socretino, estará nesta altura ciente de que as sucessivas afrontas lhe trarão mais proveitos do que custos num futuro próximo, ou seja, quando a ala esquerda do partido passar a riscar.

Dissertação sobre a ignorância em forma de auto-retrato.

Mas ainda aprecio menos o radicalismo islâmico, seja pela utilização de crianças-bomba, pelos ataques bombistas contra mercados cheios de populares - para mais seus irmãos de credo e raça - ou, ainda, pelos ataques a inocentes nos países ocidentais (Twin Towers, Madrid, etc.), seja pela forma selvagem como violentam as sociedades que dominam e, em particular, as mulheres que aí vegetam, obrigadas a sujeitar-se à mais desprezível miséria humana. É certo que esse radicalismo se alimenta da justa indignação que, de um modo geral, os árabes sentem relativamente a Israel, que lhes entrou por casa dentro, reivindicando o ridículo direito histórico de ter de lá saído há perto de 2 mil anos (que se diria caso os Portugueses reclamassem a soberania sobre Cabo Verde, Estado localizado nessas ilhas atlânticas despovoadas quando as descobrimos no séc. XIV e que integraram Portugal durante cinco séculos?), e se dedica, com assinalável afinco, diga-se, a inviabilizar todas as hipóteses de Paz para o Médio Oriente, como ainda há pouco o reconheceu a própria Administração norte-americana." Rui Crull Tabosa no Corta-fitas.

A comparação entre os fundamentos da criação do Estado de Israel e de Cabo Verde é tão imbecil, que nem vale a pena perder tempo com o assunto. Que o portador desta idiotia seja anti-sionista, é uma coisa, que queira justificar o seu anti-sionismo desta forma, é bem revelador da confusão que vai naquela cabecinha, e não ajuda muito à causa.

Sobre a "ignorância" dos pobres americanos acometidos de gigantismo, o que dizer? Talvez sorrir, não?

sábado, 3 de abril de 2010

O pasquim encarnado.


O Sporting goleou ontem o Rio Ave por 5-0? O Braga venceu o Guimarães no jogo mais importante da jornada? Ninguém diria, a avaliar por esta capa. É por estas e por outras que me recuso a comprar este pasquim há mais de 10 anos.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Mais futebol em 20 minutos de jogo do que em 30 jornadas da liga portuguesa.

Ninguém passa a vida inteira a escrever disparates.

A prova disso está aqui. Subscrevo na íntegra.

Pior é sempre possível.

O Diário de Notícias já era um mau jornal. Hoje resolveu piorar.

Rui Ramos contagiado pela mediocridade reinante?

Acabo de ouvir na TVI-24, Rui Ramos classificar a estratégia da direcção de Manuela Ferreira Leite como, e cito de cor, "a pior estratégica de uma liderança do PSD nos últimos anos", sem consubstanciar esta afirmação. Que alguns Gorjões, Camplihos, Correias e quejandos o afirmem desta forma, não estranho. De Rui Ramos, esperava sinceramente mais elaboração. Não basta papaguear este tipo de boutades, sobretudo quando a evidência mostra que basicamente tudo o que Ferreira Leite andou a dizer em campanha é o que consta da agenda política actual. É certo que terá cometido alguns erros: a inclusão de alguns nomes menos recomendáveis nas listas de candidatos a deputados, bem como o episódio  pouco feliz da Madeira,  são porventura os exemplos mais flagrantes. Mas estes exemplos nada têm a ver com estratégia. Terão sido quanto muito erros tácticos, ou se se quiser, tiros no pé, que comparados com as asneiras com que sucessivos líderes do PSD nos têm brindado nos últimos anos, são peanuts.

Manuela Ferreira Leite perdeu as eleições por dizer aquilo que ninguém queria ouvir. Não dourou a pílula, e provavelmente isso custou-lhe esta fama que pelos vistos Rui Ramos também subscreve, mas classificar  isto como a "pior estratégica de uma liderança do PSD nos últimos anos", é no mínimo decepcionante, quando dito por alguém que me habituei a ler e escutar com atenção, e que considero intelectualmente sério. Fica o registo.